Desenvolvimento, Dicas, Sistema de Gestão

Sistema Local x Sistema na Nuvem

Sistema Local x Sistema na Nuvem

Quando você se depara com essa dúvida: Investir em um sistema de nuvem ou local? Como você pode decidir?
Aqui iremos listar algumas comparações para que você tenha mais conhecimento sobre esses dois sistemas e faça a melhor escolha, de acordo com a sua necessidade.

Sistema Local

  • Não dependem de uma conexão web para serem executados.
  • Armazenamento de dados, processamento de comandos e visualização de informações são feitas diretamente na infraestrutura disponível para o usuário.
  • Não dependem de uma conexão web para serem executados.

Vantagens

Os recursos não precisam de uma conexão web para serem funcionais, mas podem ser acessados por usuários remotos por meio de VPNs (Virtual Private Network) ou publicando as aplicações para a Web.

Oferece alto controle ao gestor tecnológico, que passa a contar com as ferramentas que um CEO tem disponíveis para o gerenciamento do negócio.

Desvantagens

Tem a ver com a flexibilidade de investimento e a segurança.
A infraestrutura de TI local exige um investimento inicial bem maior e muito mais planejamento.

Por conta da pouca flexibilidade na gestão da estrutura on-premises, o resultado de um investimento malfeito é sempre a subutilização de um gasto desnecessário ou, ao contrário, uma atualização insuficiente para atender à demanda produtiva, criando assim a necessidade de outra compra onerosa para o negócio.

A maioria dos sistemas locais possuem licenças permanentes, ao contrário dos modelos de cloud computing, em que o investimento é feito por meio de assinaturas. Precisando gerenciar e atualizar a licença sempre que necessário.

Aplicações locais estão mais sujeitas a problemas causados por vulnerabilidades nos sistemas do usuário. Um malware pode comprometer as políticas de segurança da ferramenta para capturar ou modificar informações privadas.

Sistema na Nuvem

Não são executados localmente, mas sim em uma plataforma de cloud computing.
Os recursos são contratados na modalidade de serviço (IaaS, PaaS ou SaaS), em vez de ser adquirida e implementada internamente.

Vantagens

O pagamento pelo acesso aos recursos é feito sob demanda, conhecidos como SaaS, IaaS e PaaS.

Esse sistema adequa a oferta à demanda por processamento, conexão e armazenamento — dá-se a essa característica o nome de elasticidade.

A segurança é garantida pelo provedor ou gestor do contrato. Em caso de anomalias no sistema, é possível saber a origem da ameaça, o caminho percorrido e os dados afetados.

Desvantagens

Os problemas mais comuns surgem em forma de indisponibilidade do sistema com uma frequência maior que o desejado, bem como de instabilidades relacionadas a um desempenho inferior da estrutura contratada.

É importante contar com uma equipe especializada para evitar problemas como:

  • incorreta utilização dos recursos que estão disponíveis;
  • custos desnecessários que comprometem o orçamento estimado;
  • baixa performance devido indevido dimensionamento.

O objetivo da nuvem é dar mobilidade e objetividade à operação e à administração de uma empresa, esses contratempos são cruciais.

Principais tipos de Sistemas na Nuvem

Nuvem pública

Por oferecer um bom equilíbrio entre desempenho, customização e investimento, é o modelo mais usado. O provedor de serviços na nuvem (CSP) compartilha sua estrutura com vários clientes, com isolamento completo entre cada um.

O cliente pode economizar ao diminuir sua oferta de armazenamento e computação em tempos de crise, bem como aumentá-la quando precisar atender a uma demanda atípica ou sazonal.

Nuvem privada

Aqui a própria empresa ou uma parceira de gerenciamento cria a nuvem, usando para isso os servidores e equipamentos já adquiridos internamente.

Permite mais customização, já que o sistema é criado do zero para atender a um ambiente corporativo específico. O investimento é mais alto, mas o controle sobre o sistema acaba sendo um pouco mais vantajoso para quem precisa desse tipo de solução.

Nuvem híbrida

Essa é uma junção dos outros 2 modelos, integrados em um único sistema.
É comum que a empresa use uma estrutura própria para armazenar e gerenciar dados mais sensíveis e aqueles que precisam de um acesso mais rápido e controlado. Enquanto isso, a nuvem pública serve tanto para a produtividade quanto para o uso de licenças no modelo SaaS.

Sobre a escolha

A cloud se tornou uma das melhores alternativas para negócios que buscam uma forma inovadora de licenciar seus serviços de TI e maximizar sua performance, principalmente quando tais ferramentas são comparadas com os sistemas locais.
Essas soluções podem acessadas de qualquer ponto, desde que contem com uma conexão web ativa.

A segurança de dados faz com que a rotinas de segurança digital, que são mais complexas, fique em grande parte de responsabilidade do prestador de serviços.

O Sistema na nuvem também é mais fácil de ser instalado e configurado que aplicações locais.

Ambas as soluções se diferenciam pelos modelos de negócio usados para sua contratação. No caso dos aplicativos locais, o pagamento é feito uma única vez, por todo o sistema. Já no caso da nuvem, em que os preços tendem a ser menores, a companhia paga sob demanda e os custos de manutenção são divididos entre todos os usuários.

Agora analise os prós e contras e decida para onde vai o seu investimento!

Fonte: Techtudo.com.br

Deixe seu comentário